Desapegue o que não for

Por Vitória Cabral

gi

Tem gente que chega para somar, mesmo quando quer subtrair, a partir disto escolhemos como vamos reagir. Da quebra do imaginário pode nascer em mim poesia ou sonho, pode florescer sabedoria para compartilhar, ou posso me lamentar por ser quem sou, já que me limito no erro ou na dor.

Crescer dói, mas é loucura estagnar com medo de mudar, mesmo que a gente guarde um medo ou dois. Precisamos crescer, pois o sentido da vida é para frente.

Não que ampliar meus problemas ou medos, quero aprender com eles antes que me afogue fora de quem sou e ser quem não sou. Não vale nada guardar o que já não faz bem. Depois do desencanto vem o dessabor, ou seria um desamor, que resulta da inversão do amor? Apegar além do necessário torna uma casa vazia toda entulhada do que já não tem mais uso. E entre o obsoleto e a beleza minimalista escolho o simples, mesmo que pense muito sobre isso.

Imagem por: @pizzacomsushi

 

Deixe uma Resposta