Arquivo de ‘Depressões Políticas’ category

Somos todos…?

Por Vitória Cabral

11251159_927665987284512_1299883031144437213_n

No papel o que consta é que somos cidadãos, bem assim, vê que bonito:

Ser cidadão é ter direito à vida, à liberdade, à propriedade, à igualdade perante a lei: ter direitos civis. É também participar no destino da sociedade, votar, ser votado, ter direitos políticos. Os direitos civis e políticos não asseguram a democracia sem os direitos sociais, aqueles que garantem a participação do indivíduo na riqueza coletiva: o direito à educação, ao trabalho justo, à saúde, a uma velhice tranquila.

Mas eu me pergunto onde anda a cidadania. Acho bem provável que ande pelo Ocupe Estelita tentando se fazer valer. Na terra que a democracia é tirada no cara ou coroa, ou melhora ainda, nos dados viciados de um governo que só muda de nome, mas o caráter sanguessuga continua o mesmo, ser cidadão é algo perigoso.

Não sei se estou certa, já me enganaram tantas vezes. A primeira vez que ouvi falar do Estelita (2012) um amigo em puxou de lado pra dizer que era movimento de burguês e não dei muito crédito, o tempo se passou e bem depois vi o projeto Novo Recife, achei lindo, mesmo não sabendo como era o Estelita. Só ano passado entendi o que de fato significa todo o movimento, que o Estelita não é e nem pode ser pra burguês, que o Ocupe não é de desocupados e sim de CIDADÃOS tentando fazer valer NOSSA cidadania.

Minha senhora, meu bom burguês, que merece repeito sou eu, não estou tirando nada seu, são vocês que estão barrando meu direito de ir e vir ou permanecer. E eu penso em todos os nossos direitos e nas nossa condições impostas por um sistema ganancioso.

Como me partiu o peito e doeu a alma ver que por fata de condições minimante digna pra qualquer animal, inclusive pros seres humanos, Camila Mirele não resistiu ao baque e o atropelo do descaso e morreu. E eu falo me pondo em seu lugar, pois todos os dias eu guardo a minha dignidade e pego um ônibus lotado pra ir, tantas vezes, na porta do mesmo. E o respeito que  eu deveria receber, minha senhora? Como a senhora acha um absurdo vinte barracas na porta do seu prédio? Ah, é que favelizou muito sua vista. Faveliza sua vista, também, uma educação de qualidade pra todos, professores sendo justamente remunerados? Realmente, isto é uma barbaria.

Somos todos Camila Mirele, somos resistentes de uma terra sem direito e sem lei, onde os professores apanham e a polícia, de batom, maqueia pro lado do governo. Resite Estelita, resite pra pegar busão, voltar pra casa como Camila só queria, depois de tanto que esperou um ônibus que queima parada e vem lotado.

Aos familiares da estudante presto minha solidariedade.

Você também pode gostar

Enquanto isso no Recife

Por Vitória Cabral

Copa rolando e polícia descendo o cacete em quem ta no Estelita, sei que o blog não tem um cunho político e que vocês vem aqui querendo desopilar, mas como os jornais e outras mídias andam tão alienadinhos me senti no direito como blogueira, cidadã, universitária oh bisho político e outras coisas mias, que sei lá, de dar só um oi pra algo que tá rolando na vida real.

Se você não teve tempo ou teve preguiça mesmo de ver o que era o ocupe Estelita te dou as dicas de um modo bem rápido.

ocupe-estelita

Neste link eu vi um argumento muito massa e que não procurava extremos e sim a razão “Não há vilões, nem heróis. A iniciativa privada é necessária, mas o interesse público tem de prevalecer.” é algo em que eu possa concordar sim e a proposta é uma revitalização e não uma relativação do local, há um pensamento comercial sim por trás deste projeto e que beneficia muito mais a cidade e com isso os cidadães que construir 12 prédio que só vai fazer feliz quem vende e quem compra. Filho, qual a lógica disso!? Inchar uma cidade que é uma ilha, botar o caos e depois ter a certeza que ou ela afunda ou o povo abandona aos pouco e vira uma cidade fantasma, ta massa, deve ser este o objetivo né. Tô achando.

Neste outro link você pode dar um confere no projeto #penserecife que por motivos de lógica já ganhou meu apoio.

Pergunta: eu acredito na melhora do nosso querido caos!? R: Nãao! mas acho que vale tentar mudar as coisas e apoiar as coisas novas e desacreditadas, geralmente é o certo e o lógico, sem falar que isso é uma nova cara, uma nova vida pra cidade.

Foto: Oblogdaruiva (veja o post dela clicando aqui)

Você também pode gostar